A Restauração Estética é a reconstrução do dente. O dente, quando afetado por cárie ou fratura, necessita deste tratamento para que se recupere e volte a ter sua função e forma normal. Ao realizar uma restauração, o dentista primeiro remove a parte do dente que está deteriorada, limpa a área atingida e então preenche a cavidade limpa com um material de restauração.

Quando a cárie é mais profunda, o dentista por vezes não consegue restaurar o dente, devido ao comprometimento da estrutura remanescente. Neste caso, o ideal é se colocar uma prótese no local, para que não ocorram fraturas devido ao pouco remanescente coronário.

Ao fechar os espaços onde as bactérias podem se infiltrar, a restauração também ajuda a prevenir uma reincidência de cárie no dente.

Atualmente a odontologia moderna oferece a restauração dental estética, onde são utilizados materiais como porcelana e resina, que são da cor do dente, proporcionando um resultado de melhor aparência e harmonia no sorriso do paciente.

Porcelana: Chamadas de incrustações ou facetas, são feitas sob medida em laboratório. Este material combina com a cor do dente e resiste a manchas. A restauração de porcelana geralmente cobre a maior parte do dente. Seu custo é mais elevado por ser um material único.

Resina composta: Elas combinam com a cor dos dentes, assim como no caso das facetas, proporcionando uma aparência mais natural. De manuseio no próprio consultório, o material molda-se ao dente após a aplicação. As resinas compostas não são o material ideal para grandes restaurações, pois tem resistência menor. Também podem manchar com pigmentos como o café, chá ou tabaco, e não duram tanto quanto outros tipos de restaurações – em geral de três a 10 anos.

A importância da revisão
O dente restaurado é sempre mais vulnerável que o dente íntegro, por isso necessita de revisões periódicas. As restaurações existentes devem ser reavaliadas em visitas regulares ao dentista. A recomendação é a cada seis meses.