Primeira Infância (dos seis meses aos três anos)

Quando os dentes estão prontos para romper a gengiva, o bebê pode apresentar salivação aumentada, ficar irritado, inquieto e levar as mãozinhas à boca. Febre e diarréia também podem ser observados. Você pode dar-lhe algum alívio oferecendo-lhe, por exemplo, um mordedor de borracha. Em outros casos, se a irritação for grande, o odontopediatra pode prescrever um anestésico tópico mão irritante.

Nesta fase das consultas, também serão ensinados os avós e babá (além dos pais, claro) a escovar os dentes da criança de maneira correta, além da orientação sobre creme dental, uso de mamadeira e chupeta e aplicação de flúor.

 

Segunda infância (dos três anos em diante)

Uma experiência ruim pode traumatizar a criança e prejudicar sua saúde. Por isso é importante atenção e psicologia para que a visita seja agradável e os conselhos dados no consultório sejam seguidos corretamente em casa. Nossos profissionais habilitados são capazes de fazer a criança sentir-se bem, com uma abordagem e linguagem adequadas.