Enxertos teciduais são feitos em tecido mole para aumentar a espessura e resistência dos tecidos moles que protegem ossos e dentes.

Em osso, para dar condições de colocação de implantes dentários. Podem ser executados com osso autógeno do próprio paciente removido de outros leitos ósseos ou com materiais sintéticos elaborados em laboratório, eliminando riscos de transmissão cruzada de agentes infectantes provindos de espécies animais ou de humanos. Associados ou não ao uso de L-PRF.

L-PRF (Leukocyte – Platelet Rich Fibrin): Membrana Autóloga de Fibrina e Plaquetas usada para aceleração da reparação tecidual. Fibrina Rica em Plaquetas e Leucócitos é uma espécie de coágulo preparado com sangue do próprio paciente através de sua colheita venosa e centrifugação por uma centrífuga laboratorial de baixa rotação em uma velocidade controlada onde prevalecem as células brancas do sangue com vitalidade, ou seja, com o poder de liberar no momento certo da reparação tecidual fatores de crescimento em quantidades importantes para acelerar este processo.